Onde está seu Foco? No Problema ou na Solução?



Aprenda a definir o seu foco e a não se distrair com pequenos problemas, assim você saberá o que é o certo a fazer quando você tiver um problema.

Caro leitor, começo este texto com uma pergunta relativamente simples: você tem problemas?


A resposta mais óbvia, imagino, é “Sim”, certo? Pois bem, como você lida com eles?


Problemas ou obstáculos a serem superados, todos nós sempre temos e sempre teremos, mas a diferença entre quem vive uma vida plena e quem vive se lamentando é a forma como lidamos com essa parte diária de nossas vidas.

Talvez se a pergunta for reformulada, o quadro comece a ficar mais claro: onde você mantém seu foco? Antes de falar a resposta, vou contar uma estória que me contaram certa vez.


“Certo dia, em uma classe de universitários, os alunos se depararam com uma folha em branco sobre suas mesas e havia um aviso para que eles não virassem o papel até que o professor dissesse que podiam fazê-lo.


Todos acomodados e o professor explicou que se tratava de uma redação, e o tema se encontrava no lado oposto da folha e que eles podiam virá-la. Quando o fizeram, os alunos ficaram atônitos, pois nada havia na folha exceto um ponto preto com 1cm de diâmetro bem no meio do papel. O professor saiu da sala e voltou após uma hora para recolher as redações.


No dia seguinte ele falou a classe: ‘É interessante como encaramos a vida; cegamos para um oceano de oportunidades ao direcionarmos nosso foco e energia para coisas tão pequenas. Eu lhes dei uma folha em branco com apenas um ponto preto que não chegava a ocupar 1% da área do papel e, ainda assim, todos os alunos, sem qualquer exceção, discorreram apenas sobre a mancha mínima no imenso papel branco.


E assim fazemos com a vida, concentramos nossas energias no pequeno ponto preto que representa o quase nada que não temos e deixamos passar uma enorme folha em branco de oportunidades.”


Agora volto ao ponto em que parei: onde está seu foco, nos problemas ou nas possíveis e mais diversas soluções? É triste constatarmos que a grande maioria prefere se lamentar do que voltar suas energias para atitudes resolutivas.


Lamentar é cômodo, enquanto resolver exige esforço. E essa parece uma das máximas do seres humanos: ficarmos presos em nossa própria preguiça.


Direcionamos nosso foco para os problemas, sem propósitos claros e nos sentimos esgotados, pois gastamos mais energia do que o necessário.

O caminho é muito mais longo e, quase sempre, nos leva a um lugar onde não gostaríamos de estar.


Convido você agora a parar por um instante e olhar para sua vida sob essa nova luz: reconheça os obstáculos à frente apenas como forma de medi-los, para assim escolher a melhor forma de superá-los.


São nossas escolhas e atitudes mais assertivas para cada desafio que fazem a diferença. A única coisa que podemos controlar é nossa mente, para que o resto todo não pareça sempre fugir do controle; uma mente sã é capaz de encontrar paz em meio ao caos.


Antes de me despedir, vou deixar mais um pensamento da sabedoria popular para ajudá-lo com o próximo obstáculo que aparecer em sua vida:

Vamos encarar nossa vida de forma mais proativa, focada em fazer e não em reclamar?

Posts Em Destaque