Cure sua criança interior!



As vivências da infância impactam toda nossa existência. É importante olharmos para isso com o olhar de quem busca a cura das feridas abertas neste período da vida.


Mesmo tendo racionalmente a plena certeza de que os pais deram seu melhor, por alguma razão, que nem Freud explica, a criança que fomos até os 7 anos de idade, continua com sua energia atuante em nosso subconsciente.


Potencializar a vida adulta e os seus resultados é um processo diretamente ligado ao tratamento das dores provocadas por rejeição, abandono, críticas, cobranças e outras dores vivenciadas nos primeiros anos de nossa existência, que permanecem enraizadas na mente, não importa o tempo que passe.


Fazendo com que o individuo mesmo adulto, siga atraindo situações energeticamente compatíveis as do passado.


Preste atenção na sua criança interior.


Só assim será possível enxergar o que o universo diariamente estampa na nossa cara!


Olhar para a dor é a porta de saída da zona de conforto, mesmo que o reencontro com certas lembranças faça chorar, sentir tristeza, vazio ou raiva. Enfrentar é o primeiro passo para a libertação.


Permita acolher-se!


Ser um bom ativista e agente de mudanças requer auto-acolhimento. Para isso, busque enxergar com carinho o ser pequenino que um dia foi. A conexão com ele é o passo inicial para um longo, bonito e libertador processo de cura.


Toda vez que alguém decide se encarar com amorosidade e sem julgamentos mergulhar nas lembranças que traz inconscientemente da infância, não só as dores, como também as fortalezas são evidenciadas. O resultado deste processo tende a mostrar o quanto estamos alinhados ou não com a vida adulta, as nossas relações com o outro, profissão, financeiro, estado emocional e nível de entusiasmo.


Quer iniciar hoje mesmo o processo de cura da sua criança interior?


Escolha um local reservado, calmo e acolhedor na sua casa, coloque uma boa música calma para tocar, regule a luz para que fique aconchegante, acenda um incenso se gostar, respire profundamente 3 vezes e faça a si mesmo as seguintes perguntas:

- Quando penso na minha infância qual memória me vem primeiro a cabeça?


- Como me sinto em relação a essa memória?

Após essa lembrança, imagine-se abraçando sua criança, fale o quanto você a ama e que está ao lado dela. Viva este reencontro, depois pegue papel e caneta e escreva a experiência que teve. Assim, estará pronto (a) para o próximo passo neste caminho de cura da sua Criança Interior.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square